sábado, 29 de outubro de 2011

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome: Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é: Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de: Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é: Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável, pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama: Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é: Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a: Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é: Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é: Saber viver!
Charlie Chaplin

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O pai adormecido.

Pensa que a sua família é disfuncional? Então leia este livro!
Chris e Cathy são irmãos e estão a viver as angústias e os desafios da adolescência de formas bem distintas. Enquanto o espírito subversivo de Chris o leva a embarcar numa jornada de experimentação, Cathy procura uma estratégia de salvação capaz de desvendar o tão desejado sentido da vida. À incómoda ingenuidade das suas incursões no mundo adulto, junta-se um pai “adormecido” – em casa a recuperar de um coma desde o momento em que misturou acidentalmente dois tipos incompatíveis de antidepressivos – e uma mãe em fuga, cujos sonhos não incluem o núcleo familiar. Uma família disfuncional à volta da qual orbitam uma neurologista reprimida, uma terapeuta ninfomaníaca e ainda um adolescente de inteligência intimidante… e o que resulta é uma neurose assustadoramente honesta sobre a futilidade e o contraditório encanto da vida.
"O Pai Adormecido" é uma mordaz sátira à vida moderna, um livro sobre a perda da inocência, a ingenuidade confusa da adolescência, os mecanismos bioquímicos da sanidade e do amor, a natureza da linguagem e do significado. Mas, acima de tudo, é sobre os Schwartz, uma família invulgar e, não obstante, típica, que faz o seu percurso de vida o melhor que sabe, numa pequena povoação do Connecticut.
«O livro do momento… Um romance excêntrico e formidável.»
The New York Observer
sinopse e imagem do site:http://www.fnac.pt 

Os náufragos do Amor

site da imagem e  sinopse:
fnac.pt
Quando um coração oscila entre duas famílias, até onde pode levar o desejo de recuperar um amor?
Bill, um irlandês que vive nos arredores de Lisboa, é a única testemunha do assassínio da sua companheira Carolina. Quando Miguel Neves, o inspector da Polícia Judiciária, chega ao local do crime, encontra o corpo da mulher no sofá e o homem a ser levado numa ambulância. Não descobre sinais de roubo ou arrombamento. Os dados da investigação estão lançados.
No hospital, Bill é interrogado pela polícia e declara que dois homens o agrediram e mataram a mulher. Os investigadores tentam encontrar os alegados agressores.
Descobrem que a relação de Bill com Carolina já conhecera dias melhores e que o irlandês viajava com demasiada frequência para a sua terra natal. Quando o detective Neves e o seu colega Nicolau viajam até Cork, descobrem que a vida de Bill é mais misteriosa do que parece.
"Os Náufragos do Amor" é uma obra que introduz o leitor no quotidiano peculiar da investigação policial ao mesmo tempo que o leva a questionar-se sobre os limites do amor, confirmando a mestria narrativa de Rui Araújo.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011








"Depois de uma certa idade, somos todos veteranos de alguma relação amorosa que deixou cicatrizes."  
(Martha Medeiros)






site da imagem :deviscience.wordpress.com

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Educação na Coreia do Sul( tecnologia acima de tudo)


A sociedade tecnológica de hoje gira muito em torno de dispositivos móveis, uma parte quase fundamental da vida diária de muitas pessoas. Mais recentemente, os “tablets” (dispositivos pessoais em formato de prancheta que podem ser usados para acessar a internet, entre outras funções) ganharam popularidade com novos modelos, como o iPad 2 da Apple e Galaxy Tab da Samsung.
E eles não são apenas usados para fins de entretenimento: mais e mais empresas e escolas estão substituindo livros didáticos e manuais impressos por tablets.
Por exemplo, a Alaska Airlines substituiu seus manuais de voo por iPads e a American Airlines está querendo adotar o tablet também.
Agora, a Coreia do Sul quer substituir livros didáticos nas escolas por tablets. Na semana passada, o Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia do país anunciou que o governo vai investir mais de 3,11 bilhões de reais na ideia, e espera ter substituído os livros didáticos de impressão completamente até 2015.

sites das  imagens:

g1.globo.com
veja.abril.com.br
noticiastecnologiaweb.blogspot.com
Sou do tipo que adora o contato físico, o beijar apaixonadamente e sentir o toque das mãos enlouquecidamente.Mas quem me anima mesmo a  alma é  sentir que não serei esquecida nem se quer um segundo, do tipo que espero anciosamente , dias, meses, anos pela  tua  volta para que o dentro de mim se  complete , para que meu jardim encha-se das mais belas  flores, para que eu possa por minha mesa repleta de felicidades. Porque  sou  sustentada pelas coisas românticas  , daquelas  que  suspendem a  alma, que eleva o espírito, que me  tira do chão sem nem me tocar. Sou do tipo apaixonada e  sempre movida  por  um amor que espera, compreende, silencia, sonha e , é  eternamente indiscutivelmente renovável à  cada manhã, a  cada minuto, cada segundo na  eternidade ....
MG
site da imagem :sussurrosdaalma.blogspot.com

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Aristóteles

A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não copiar sua aparência. Frase de Aristóteles

Ótimo livro





Um clássico da literatura do século XX, belo e intemporal, que vendeu mais de 10 milhões de exemplares e ganhou o Prémio Pulitzer e a Howells Medal

Um relato universal, comovente e inspirador do destino de um homem e de uma família.
No reinado do último imperador da China, uma criada casa com um homem humilde. Juntos dão início a uma família e encetam uma viagem épica, envolvente e inesquecível…
O-lan é uma criada na maior casa da aldeia. Quando casa com Wang Lung, um humilde agricultor, labuta arduamente ao longo de quatro gravidezes pela sobrevivência da sua família. Ao princípio, as recompensas são poucas, mas o trabalho é fonte de esperança e há sustento na terra. Até a fome chegar e mudar a vida de todos.
Obrigada a fugir ou a morrer de inanição, a família chega à grande cidade do Sul, juntando-se a milhares de outros camponeses que mendigam pelas ruas. Tudo parece perdido, até que a boa sorte e a determinação de O-lan conjuram-se para os levar de volta a casa com uma riqueza inimaginável.
De volta à terra que havia garantido o seu sustento, a recente fortuna da família origina apenas desconfianças, enganos e principalmente muita mágoa para a mulher que os salvou, mudando o destino da família.

Tendo como pano de fundo uma China à beira da mudança, Terra Abençoada é a pungente e emocionante saga de uma família e a história do sacrifício de uma mulher. Um clássico da literatura do século XX, belo e intemporal.

Pearl S. Buck foi galardoada com o Prémio Nobel da Literatura em 1938.
Terra Abençoada, editado pela primeira vez em 1931 marcou gerações de leitores e foi adaptado ao cinema em 1937
site da  imagem e  alguns relatos da sinopse:blogs.sapo.pt

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SOMENTE NO SILÊNCIO DO TEU OLHAR

Me sinto muitas vezes assim:
Querendo enxergar bem mais além, as  formas sempre  ficam mais  bonitas, a lua tem seu brilho muito mais  encandescente...
E  sinto uma ferfura que me  aquece e me dispede totalmente a  alma, fico solene e enobreço o que sou, apenas no simples fato do mergulho que dou, nas  águas  mansas , na  fonte límpida que transborda, no silencio do teu olhar...
 site da  imagem:luso-poemas.net

MG

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Pablo Neruda



Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza.
Pablo Neruda









site da imagem:umdrink2.blogspot.com

As Rosas de Atacama

SINOPSE
Um dia, no campo de concentração de Bergen Belsen, na Alemanha, Luis Sepúlveda encontrou gravada numa pedra uma frase de autor anónimo que dizia: «Eu estive aqui e ninguém contará a minha história.» Essa frase trouxe-lhe à memória toda uma galeria de personagens excecionais que havia conhecido e cujas histórias mereciam ser contadas. Assim nasceu o presente livro, As Rosas de Atacama. «Histórias marginais» (aliás o título da edição original espanhola), e também histórias de marginais, os relatos que compõem esta obra têm todos os ingredientes a que Luis Sepúlveda habituou os seus leitores: a defesa da vida e da dignidade humana, a luta pela justiça, o elogio dos valores ecológicos, o exotismo como afirmação de que os sonhos são os mesmos em todos os lugares da Terra. Como em todos os livros de Sepúlveda, também neste a realidade supera a ficção.
site da imagem:codigobarras.blogspot.com

Eu me inclino para te ouvir






 E passo a te ver apenas  em meus  sonhos, sonhos estes  que nem sei se um dia será realidade. Mas nem estou aí pra que ele se tornem realidade ou não, porque realizar um sonho é torná-lo real e o real passa , acaba e  sonhando eu sempre te  terei pertinho de mim, ao meu lado , pegando minha mão, beijando minha  alma, sentindo o cheiro  do meu amor por ti.Porque sonhar contigo , com teu amor é tudo e  se  tenho "tudo" de que preciso mais?!!
MG








 e
site da imagem:dourofotos.blogspot.com

MADALENA FREIRE

Madalena Freire


Eu NÃO SOU VOCÊ VOCÊ NÃO É EU
Eu não sou você

Você não é eu

Mas sei muito de mim

Vivendo com você.

E você, sabe muito de você vivendo comigo?

Eu não sou você

Você não é eu.

Mas encontrei comigo e me vi

Enquanto olhava pra você

Na sua, minha, insegurança

Na sua, minha, desconfiança

Na sua, minha, competição

Na sua, minha, birra birra infantil

Na sua, minha, omissão

Na sua, minha, firmeza

Na sua, minha, impaciência

Na sua, minha, prepotência

Na sua, minha, fragilidade doce

Na sua, minha, mudez aterrorizada

E você se encontrou e se viu, enquanto olhava pra mim?

Eu não sou você

Você não é eu.

Mas foi vivendo minha solidão que conversei

Com você, e você conversou comigo na sua solidão

Ou fugiu dela, de mim e de você?

Eu não sou você

Você não é eu

Mas sou mais eu, quando consigo

Lhe ver, porque você me reflete

No que eu ainda sou

No que já sou e

No que quero vir a ser…

Eu não sou você

Você não é eu

Mas somos um grupo, enquanto

Somos capazes de, diferenciadamente,

Eu ser eu, vivendo com você e

Você ser você, vivendo comigo.
site da imagem :clarissacorrea.blogspot.com

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

"Não ame por beleza,pois um dia ela acaba,
não ame por adimiração, pois um dia posso me decepcionar.
Ame apenas, pois o tempo nunca poderá apagar um amor sem explicação."
Madre Tereza de Calcutá
As Unicas diferenças entre o forte e o fraco estão em sua sabedoria e em sua determinação.
Flávio dos Santos

domingo, 16 de outubro de 2011

Feliz Por Nada
“Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.”
É com a força transformadora de um abraço que Martha Medeiros abre este novo livro de crônicas e é com a mesma singeleza e olhar arguto para o cotidiano que a escritora ilumina algumas das questões mais urgentes do século XXI. A destacada romancista, cronista e poeta, que já teve obras adaptadas para o cinema, para a tv e para o teatro, fala aos leitores com a sinceridade de um amigo e materializa as angústias e os anseios da sociedade pós-tudo, que vive acuada sob o grande limitador do tempo.
Nesta coletânea de mais de oitenta crônicas, Martha Medeiros aborda temas muito diversos e ao mesmo tempo muito próximos do leitor. A autora tem o dom para aproximar assuntos por vezes fugidios – como é próprio do cotidiano de questões universais, como o amor, a família e a amizade, e criar lugares de reconhecimento para o leitor, como ao falar de Deus, dos romances antigos e novos, da mulher, de escritores e cineastas que são imortais, de se perder e se reencontrar, do que a vida oferece e muitas vezes se deixa passar.
Feliz por Nada, afirma Martha Medeiros, é fazer a opção por uma vida conscientemente vivida, mais leve, mas nem por isso menos visceral.
Editora: L&PM
Autor:
Martha Medeiross
site da imagem :diariorioclaro.com.br

sábado, 15 de outubro de 2011

você já fez algo pelo seu proximo hoje???

 Muitas  vezes até  achamos que  fizemos, pois  passamos no sinal tem um lá  deficiente  e  damos  uma simples moeda. Mas quantos  estão ao nosso lado sofrendo fome  e  sede e  fazemos de  conta que não vemos? ou isso não é da nossa   conta, será que não é? Ou será  que isso é obrigação do governo? de uma  coisa sei , não podemos fechar os olhos diante de  tanto sofrimento se  está  ao nosso alcance ajudar ao próximo. Está mais do que na hora ajudarmos ao que necessitam de nós e  lembrar sempre que não sabemos do nosso amanhã e  se plantarmos arroz  jamais colheremos milho. um  abraço a  todos!!




sites das  imagens :

hotlove.loveblog.com.br
luzagas.blog.uol.com.br
'A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a
felicidade'.
Carlos Drummond de Andrade
 site da  imagem:meusescritosnossasideias.blogspot.com

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Descontraindo
















site da  imagem:
adoracaosemlimite.wordpress.com

Parabéns aos meus queridos(a)amigos de profissão, somos todos professores(a).!!






 Qual professor(a) nunca ganhou uma maçã , uma  flor ou uma  rosa? Sempre ganho todas  as manhãs dos pequeninos que ensino e  de repente aprendo. Esses com tão doces gestos em lembrar que há lá  na Escola, alguém que nem é  da sua família mas  que muitas  vezes até se torna  pois  eles chamam de tia. É gratificante apesar de  árdua a profissão de lecionar, de ser professor(a), mesmo que  seja hoje em dia  a profissão mais  abandonada aqui no meu país principalmente , pois  já  estamos  cansados de sermos mal pagos, de  não mais termos os direitos  que  tínhamos e  ainda por cima de  sermos  até violentados quando não por  alunos  por  seus  pais  que  apenas  acham que  seus   fllhos  sempre teem a  razão e  que  nós não somos nada, verdadeiramente NADA. Mas  apesar de  tudo isso , ainda  vale  a  pena  dar um pouco do que   temos  a  esses seres que acredito , pois se não acreditarmos quem o fará? cmo ficará  nosso fututro? 
Pra ser professor hoje  em dia ,  tem que amar o que faz e  muito !!!






site da imagem:pt.dreamstime.com

Achei legal para ler

  • Jonas viajava com os filhos Ingrid e Bosco por uma estrada escura. De repente os três adormecem e, quando acordam, depois de muitos sonhos agitados, se dão conta de que estão em um vasto campo verde. O carro em que viajavam desapareceu e a única saída daquele campo é um caminho formado por pedras justapostas... é O Caminho do Poço das Lágrimas. Mas para onde os levará esse caminho? Que mistérios e perigos os esperam?

    Em seu 13º romance o escritor André Vianco aventura-se através de uma fábula gótica moderna. O Caminho do Poço das Lágrimas é um livro ilustrado, cheio de metáforas, que leva a reflexões acerca da morte, da maneira como levamos a vida nos dias de hoje. O Caminho do Poço das Lágrimas nasceu depois do autor ter se dedicado durante três anos às histórias de terror, envolvendo vampiros. Há algum tempo seus leitores vinham dizendo que estavam com saudades de livros como A Casa por isso, quando a idéia para essa fábula surgiu, ele não conseguiu fazer mais nada direito, até que finalmente a colocou no papel: "A idéia para escrever O Caminho do Poço das Lágrimas nasceu de uma história de ninar que eu inventei para as minhas filhas. Durante muito tempo essa história ficou remoendo em minha mente, ela se apoderou de mim de uma maneira que eu precisei parar tudo para dar vida a ela.", explica André Vianco.
  • Editora: Novo Século
  • ISBN: 9788576792024
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2008
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 208
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio 
  • Fonte submarino.com.br

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Feliz dia do Professor


Mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende.
João Guimarães Rosa










valcabral.blogspot.com

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Gueixas ...




site das imagens:
tudosobreasgueixas.blogspot.com
projetoicjapao.blogspot.com
kawaii-cutes.blogspot.com

Pensou ser no Japão? Eu também pensei...

 Templos  Japoneses em Itapecirica da Serra  . SP.



sites das imagens:
penatabuacar.blogspot.com
skyscrapercity.com
flickr.com

terça-feira, 11 de outubro de 2011

LINDOS GOLFINHOS...

 SE NÃO PRESERVARMOS IREMOS  FICAR SEM ELES. A NATUREZA CLAMA  POR SOCORRO.


domingo, 9 de outubro de 2011

Tudo ou nada
Autor(es): Roberto Shinyashiki

Será que nossos desejos mais ousados são realmente impossíveis de alcançar? Você tem certeza que já tentou todos os caminhos para sua realização? Qual foi a última vez que você se permitiu tomar as rédeas da sua vida? Nas páginas deste livro, você vai aprender a identificar os momentos em que é necessário realizar uma ruptura na sua maneira de pensar e agir. Momentos decisivos de escolhas que afetarão sua vida para sempre, sem volta. Momentos cruciais que trazem a chance de construir de verdade sua própria história. Na realização de suas metas ou na tomada de difíceis decisões, o caminho que você escolhe determinará quem é e para onde quer chegar. Baseado em um acontecimento real de sua vida, Roberto Shinyashiki mostra que, num fato cotidiano que poderia passar despercebido, podemos entender como é importante tomar as decisões corretas. Para ele, há momentos em que precisamos realizar uma ruptura na nossa maneira de pensar e agir, do contrário, corremos o risco de perder as oportunidades da vida.

Roberto Shinyashiki


Roberto Shinyashiki

Roberto Shinyashiki nasceu em Santos (SP), em 1952.

Médico-psiquiatra, fez pós-graduação em Gestão de Negócios e é doutorando em Administração de Empresas, pela USP.

Lançou seu primeiro livro em 1985, “A Carícia Essencial”, que em pouco tempo se tornou Best-seller.

Roberto, além de escrever livros que aplicam a espiritualidade ao mundo dos negócios, é consultor organizacional e ministra palestras no Brasil e no exterior. Já ministrou cursos de especialização nos EUA, na Europa e também no Japão.








Um Meio ou uma Desculpa

"Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes.
Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo.
Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo.
O sucesso é construído à noite!
Durante o dia você faz o que todos fazem.
Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial.
Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados.
Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso.
Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas.
Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão.
Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.
A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores pois...
Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO.
Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA."
Roberto Shinyashiki

ENVIADO PELA AMIGA LUCIANA PACHECO

SER CHIQUE SEMPRE - GLÓRIA KALIL

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos
dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da
vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou
closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo
carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma
como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo.
Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por
seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando
estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem
brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações
inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que
estão no elevador
aos colegas de trabalho etc.
É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais!
Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.

É "desligar o radar", "o telefone", quando estiver sentado à mesa do
restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda,
correto com quem você se relaciona não querer ser mais que outro e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você
seja o homenageado da noite!

Chique do chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do
físico... Quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que
salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão,
intolerância, ateísmo... Falsidade. Não tem coisa pior do que ser falso.

Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se
lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo,
vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material
deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não
desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não
aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem,
que não seja correta.

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios,mas Amor e Fé nos

tornam humanos!

site da  imagem :ichliebechic.blogspot.com

sábado, 8 de outubro de 2011

Amar não é aceitar tudo. Aliás: onde tudo é aceito, desconfio que há falta de amor.
Vladimir Maiakóvski

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

CHAMA-SE SARA

                                                   Sinopse
Julia Jarmond, uma jornalista americana casada com um arquitecto francês, investiga uma página negra da história francesa recente: a rusga através da qual a Polícia Francesa, na madrugada do dia 16 de Julho de 1942, levou mais de 8 000 judeus franceses para o recinto desportivo do Vélodrome d’Hiver, para que aí ficassem até serem deportados para os campos de concentração.
Descobrindo, horrorizada, o calvário de todas aquelas pessoas que, durante dias, sem água nem alimentos, ficaram a aguardar a deportação, Julia interessa-se, em particular, pelo destino de Sara, uma menina entre as mais de 4 000 crianças que ali estiveram. Sara, acreditando que estava a proteger Michael, o seu irmão mais novo, fechara-o à chave num armário, prometendo-lhe que iria buscá-lo depois.
E depois não conseguiu.
Em Paris, em 2002, Julia, enquanto percorre o passado de Sara, a rusga, a deportação, acaba por ter de reavaliar o seu próprio lugar naquele país, naquele casamento e naquela vida.

A ÁRVORE DOS SEGREDOS

Sarah Addison Allen dá-nos as boas-vindas a uma nova povoação: Walls of Water, na Carolina do Norte, onde os segredos são mais espessos do que o nevoeiro das famosas quedas-d’água da cidade, e as superstições são, de facto, reais.
Willa Jackson vem de uma antiga família que ficou arruinada gerações antes. A mansão Blue Ridge Madam, construída pelo bisavô de Willa durante a época área de Walls of Water, e outrora a mais grandiosa casa da cidade, foi durante anos um monumento solitário à infelicidade e ao escândalo. E a própria Willa há muito se esforçou para construir uma vida para lá da sombra da família Jackson. Não é tarefa fácil numa cidade moldada por anos de tradição e com fronteiras bem demarcadas entre ricos e pobres.
Mas Willa soube há pouco que uma antiga colega de escola – a elegante Paxton Osgood - da abastada família Osgood, restaurou a Blue Ridge Madam e a devolveu à sua antiga glória, tencionando transformá-la numa elegante pousada. Talvez, por fim, o passado possa ser deixado para trás enquanto algo novo e maravilhoso se ergue das suas cinzas. Mas o que se ergue, afinal, é mais um segredo que gira à volta de algo encontrado sob o solitário pessegueiro da propriedade.
Setenta e cinco anos antes, o carismático vendedor ambulante Tucker Devlin, exerceu os seus encantos sombrios em Walls of Water, e deixou a sua marca. Quem terá ele sido realmente? E por que motivo estão de repente a acontecer coisas estranhas em toda a cidade?
Agora, unidas numa improvável amizade e por um enorme mistério, Willa e Paxton tem de confrontar as paixões perigosas e as trágicas traições que outrora uniram as suas famílias e descobrir a verdade acerca dos antepassados que transcenderam o tempo e desafiaram a sepultura para tocar os corações e as almas dos vivos.
A Árvore dos Segredos é uma história sobre o poder profundo e duradouro da amizade, do amor e da tradição, e um retrato dos laços inquebráveis que – nos bons e nos maus momentos, de uma geração para a seguinte – duram para sempre.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.
Bill Gates
site da imagem:feiradolivropbi.blogspot.com
A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.
Carlos Drummond de Andrade
O que  seria  misterioso no mundo em que nunca adentramos chamado fim da vida, morte, término de tudo? Se essa que se chama vida da qual usurfruímos achamos misteriosa!? Imagine o tal fenômeno morte que até hoje  é discutido entre mestres e  discípulos. céticos e etc.
site da imagem :coroasdefloresportoalegre.com.br

terça-feira, 4 de outubro de 2011

... acho que a vida é um processo... É como subir uma montanha. Mesmo que no fim não se esteja tão forte fisicamente, a paisagem visualizada é melhor.
Lya Luft
site  da imagem mwl.wikipedia.org
Não queremos perder, nem deveríamos perder: saúde, pessoas, posição, dignidade ou confiança. Mas perder e ganhar faz parte do nosso processo de humanização
Lya Luft
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...